Você já ouviu falar sobre o DHEA?

Imagem de destaque do Artigo: Você já ouviu falar sobre o DHEA?
26/06

DHEA, VAMOS REFLETIR!⠀(DHEA) ou dehidroepiandrosterona é um hormônio esteroide produzido pela sua supra renal sendo na vida adulta o esteroide mais abundante no plasma! Representa o principal precursor dos androgênios (hormônios masculinos) androstenediona e testosterona. É sintetizado nas adrenais ...

DHEA, VAMOS REFLETIR!

(DHEA) ou dehidroepiandrosterona é um hormônio esteroide produzido pela sua supra renal sendo na vida adulta o esteroide mais abundante no plasma! Representa o principal precursor dos androgênios (hormônios masculinos) androstenediona e testosterona. É sintetizado nas adrenais a partir do colesterol e a transformação de DHEA em androgênios/estrogênios ativos depende do nível de expressão de várias enzimas esteroidogênicas e metabolizadoras em cada tipo de célula que permite o controle de todos os tecidos sensíveis a androgênios e ao estrogênio para controlar os níveis de esteroides sexuais de acordo com as necessidades locais.

Devemos nos lembrar de que a via final desse hormônio será a testosterona que pode se transformar em DHT ou estradiol e por isso e necessária cautela a se prescrever DHEA em alguém que não seja deficiente uma vez que não se pode controlar para onde será feita a conversão desse hormônio. No homem ele pode desencadear uma maior produção de DHT e piorar quadros de calvície ou hiperplasia prostática ou aumentar a produção de estradiol através da aromatização levando a ginecomastia.

Na mulher o aumento descontrolado de testosterona e DHT pode levar a acne, queda de cabelo e distúrbios menstruais e deve-se ter cuidado ao usá-lo em mulheres com miomas ou nódulos mamários estrógenos dependentes uma vez que a o excesso de testosterona pode levar a níveis aumentados de estradiol também via aromatização - ta vendo como e complicado?! Por esse motivo eu não acho bacana se prescrever DHEA para um paciente que não tem deficiência desse hormônio - aliás, se não há deficiência por que repor! Nós não temos o poder de saber no que esse excesso hormonal será transformado! 

Sabemos que após os 30 anos o DHEA começa a cair chegando a níveis tão baixos como 25% do que tínhamos aos 20 anos, na idade de 70 anos ou mais sendo que alguns trabalhos tem sido feitos no intuito de mostrar os efeitos do DHEA no tratamento de doenças neurodegenerativas e alterações cognitivas mas os trabalhos, embora animadores, ainda são conflitantes.

Torço para que um dia se confirme a hipótese de uma droga como o DHEA possa ser usada como droga anti-degenativa ou protetora cerebral! Seria ótimo! Mas ainda não temos essa comprovação. Tem sido mostrada sim, em alguns casos, uma melhora nas alterações cognitivas em pacientes que fazem reposição de DHEA quando há deficiência, mas não em pessoas com níveis ok!

Dessa forma deve-se analisar cada caso individualmente! Sou contra protocolos de “rejuvenescimento” com base em empirismo e que envolvam dar hormônios a quem não tem o devido déficit. Terapia de REPOSIÇÃO HORMONAL é uma coisa, causar uma IATROGENIA é algo beeeeem diferente! Acompanhe outras matérias acompanhe meu instagram

Drª. Paula Leal, CRM 93528.

Já conheçe nosso perfil do Instagram?