Conheça os perigos de fazer uma dieta muito restritiva

Imagem de destaque do Artigo: Conheça os perigos de fazer uma dieta muito restritiva
21/05

Os padrões de beleza estão cada vez mais inatingíveis e, com as redes sociais, ainda mais presentes no nosso dia a dia. Basta uma rápida checada no Instagram, por exemplo, para se deparar com fotos de modelos impecáveis, que parecem não ter nenhuma imperfeição e almejar isso. Nem sempre as pessoas s...

Os padrões de beleza estão cada vez mais inatingíveis e, com as redes sociais, ainda mais presentes no nosso dia a dia. Basta uma rápida checada no Instagram, por exemplo, para se deparar com fotos de modelos impecáveis, que parecem não ter nenhuma imperfeição e almejar isso. Nem sempre as pessoas se lembram de duas coisas: o corpo é instrumento de trabalho dessas modelos e as fotos normalmente passam por muito tratamento de imagem. Mas isso tudo é assunto para outro momento.

O que vamos discutir hoje é o apelo a dietas intensamente restritivas para atingir esse padrão. Separei os principais perigos desse tipo de alimentação e como impacta negativamente a saúde.

Perda de massa muscular

Quando falamos de dietas excessivamente restritivas, são aquelas que impõem um consumo diário de calorias muito baixo, normalmente, menos de mil. A perda de peso realmente acontece, mas, na maioria dos casos, o organismo está eliminando massa muscular e água ao invés de gordura. Isso não é benéfico, porque a perda do tônus muscular diminui até a performance em atividades corriqueiras do dia a dia.

Dificuldades para seguir

Uma característica bem marcante das dietas altamente restritivas é a monotonia alimentar, ou seja, só é permitido que a pessoa coma determinados alimentos, que vão se repetindo no decorrer dos dias. Isso dificulta muito a missão de manter o cardápio, porque consumir todos os dias os mesmos pratos acaba enjoando, de modo que a dieta é abandonada bem antes do seu fim.

Falta de nutrientes

Quando a dieta exclui completamente alguns grupos alimentares do cardápio, a consequência óbvia é que a pessoa deixa de ingerir certos nutrientes. Pois bem, esses nutrientes vão fazer falta em algum momento. Você até pode perder peso, mas no mesmo pacote vai sentir o enfraquecimento das unhas, perda dos cabelos, pele ressecada, estresse, dificuldades para dormir, dores de cabeça e muitos outros contras. Tudo isso provocado pela falta de substâncias essenciais para a manutenção do organismo.

Pós-dieta

Outro problema são os efeitos depois que a dieta termina. Os resultados são muito a curto prazo, assim que você voltar para a sua alimentação normal, vai recuperar todo o peso que perdeu e talvez até engordar mais. Inclusive recentemente publiquei sobre o "feito sanfona"! Além disso, alguns estudos já apontaram uma possível relação entre esse tipo de regime e transtornos alimentares, como anorexia e bulimia.

O que fazer?

Para emagrecer de forma saudável, sem prejudicar o organismo e sem ser vítima do temido efeito sanfona, não tem outro jeito além da combinação de alimentação balanceada com atividades físicas regulares. Procurar um profissional que possa orientar a mudança de hábitos é o melhor caminho para obter sucesso.

Algumas pessoas não conseguem emagrecer mesmo quando adotam esse estilo de vida saudável. É possível que problemas hormonais interfiram no processo de perda de peso, por isso, se esse for o seu caso, não deixe de procurar um endocrinologista para ser avaliado.

Eu publico vários vídeos no Youtube !!! Inscreva-se!

Drª. Paula Leal, CRM 93528.

Já conheçe nosso perfil do Instagram?